Páginas

30.8.14

24.8.14

Verdugo



O verdugo da educação
Decapita alfabetizadores
Alija futuros escritores
Sonhos de uma outra nação

Arruína carreiras
Imprime moléstias
Esmaga o presente
Troca professores por votos vis

O verdugo da educação é tão pusilânime
Que teme o povo letrado
Consciente, irado
Entoando a voz que rime

Que cante canções, proteste
Frente ao descaso inconteste
Transforme todo o giz
Em metralhadoras para além do festim

O verdugo da educação mascarado
Nunca mais será ovacionado
Quando o povo formado
Acabará com todo esse circo armado

E escreverá sob a lápide do último carrasco
Em letras garrafais:
Agora vive em paz a EDUCAÇÃO
Aqui jaz o verdugo para nunca mais